Gabriela Fernandes na Carta da Gabi de Novembro 2017
(Foto: Geraldo Fernandes)

Depois do furacão #VocêCapaDoST e da maratona de postagens especiais de aniversário do STYLING TIP, eu confesso, estou cansada e não é pouco, viu! Diminuí o ritmo das postagens e acredito que vocês perceberam, mas não descansei muito nesse tempo não, pelo contrário, trabalhei e, continuo trabalhando, em algumas tarefas extras e internas que em breve vocês saberão (ai como ela adora um suspense! Haha)!

Mas durante esse mês, além disso, algo muito especial e diferente aconteceu e é sobre isso que eu quero falar na carta desse mês. Eu estou descobrindo um hobby! E a hora que eu falar qual é, quem me conhece vai se assustar com toda a certeza do mundo! Kkkk

Em Outubro, mas especificamente no dia 16, eu comecei o “Desafio Transformação Total!” da nutricionista Izabelle Coe. Um projeto Verão, literalmente. Resumidamente, o programa propõe que você se alimente de maneira saudável por 20 dias, sem industrializados, sem farinha branca, sem açúcar, sem álcool e com lactose reduzida, além de exercícios físicos de no mínimo 4x na semana e medições diárias.

Esse desafio caiu como uma luva, pois eu já tinha recomendações médicas para reduzir e até mesmo cortar esses tipos de alimentos. Não vou entrar muito em detalhes em relação a isso, mas o que eu posso afirmar era que estava acima do meu peso ideal e com uma retenção de liquÍdo fora do normal. Agora você me pergunta: então por que você não estava correndo atrás disso antes? E eu te respondo: falta de foco. Apenas isso!

Mas aí eu fui desafiada e se eu entro em um desafio, meu amor, não é para perder! Foquei 100% em uma alimentação saudável, mas tinha um pequeno (grande) problema. Para evitar os industrializados eu precisava preparar tudo o que eu comeria. Planejei o cardápio da semana, montei aquela planilha que eu adoro (o que seria da minha vida sem uma planilha? Não sei!) e fui às compras.

Cardápio ok, alimentos comprados e agora, a parte mais difícil, prepará-los. E quem me conhece sabe que eu sou uma zero à esquerda na cozinha, mas gente EU ESTOU APRENDENDO A COZINHAR (não me zoem, ok? Haha). Com 23 anos, sim eu estou aprendendo e o principal, estou adorando isso, está virando um hobby, um momento de relaxamento, de pensamentos focados só naquilo que eu estou fazendo, de paciência até os mesmos ficarem prontos. Sério, cozinhar virou uma segunda terapia pra mim.

Voltando ao desafio, não vou falar que foi fácil, mas quando se tem foco, as coisas ficam mais claras e se algo não a leva ao seu objetivo, fica mais fácil descartá-la. Pra mim, uma frase que me ajudou muito a conseguir foi: “Vale a pena?”. Fui a um aniversário e tinha várias coxinhas, docinhos, eu fiquei com vontade, claro, mas me perguntei se valia a pena, não só pelo momento, mas pela sensação de falhar no desafio e também por todo tempo gasto na preparação das minhas refeições, o dinheiro gasto na compra dos alimentos, da academia e então, a resposta veio simples e direta na minha cabeça: Não, não valia a pena. A vontade passou, não comi, não morri e segui feliz e realizada pela minha determinação. Se um dia eu olhar para algo e perguntar se vale a pena e a resposta for sim, pode ter certeza que vou comer aquilo sem culpa nenhuma.

O desafio acabou no dia 04 e eu continuo pleníssima na alimentação saudável. Além dos benefícios de saúde, que começaram a aparecer logo nos primeiros dias, agora estou vendo alguns benefícios estéticos (ai esses são os melhores, confesso! Haha) e, eu posso afirmar com toda a certeza, tudo é uma questão de hábito. Desde a segunda semana do desafio, nem parece mais que eu estou fazendo dieta. Ter um planejamento, as coisas prontas em casa facilitam muito.

Mas para finalizar, o que eu quero deixar aqui, é que eu comecei a fazer a pergunta “Vai valer a pena?” para outras questões da minha vida e olha, tem me ajudado e muito! Vai vale a pena brigar? Não. Menos uma briga. Vai valer a pena adiar? Não. Menos uma tarefa. Vai valer a pena não estudar só hoje? Não. Mais conhecimento adquirido. Vai valer a pena acordar tarde? Não. Mais um dia super produtivo. E o principal, se houver falhas, segue o baile! Eu falhei inúmeras vezes, principalmente na parte de adiar e acordar cedo, mas o que mudou, foi que eu segui em frente. Acho que isso são créditos da terapia + meditação, viu! Se fosse antes, pode ter certeza que eu acabaria com o meu dia me culpando de uma coisa que eu não fiz.

Essa carta já está ficando gigante, mas acredito que eu consegui passar um pouco de tudo o que eu vivi nesses últimos dias. Se vocês quiserem saber mais sobre o assunto, comentem, perguntem mesmo, quem sabe a gente não conversa um pouco mais em vídeo ou até em uma live!

A busca para se tornar uma pessoa melhor não pode parar nunca! Um beijo suas lindas e até mês que vem!

Assinatura Gabriela Fernandes

Diretora
gabrielajsfernandes@gmail.com.br
@gabijfernandes

Deixe uma resposta